A importância que a China exerce hoje na economia brasileira é gigantesca. Na relação bilateral, não só é o país que mais importa produtos brasileiros, como também é o maior investidor estrangeiro no Brasil. Cenário que também se reflete no Ceará. E quando se trata de tendências tecnológicas, o país asiático não pode ficar de fora. De acordo com os analistas do setor, a China vem tomando espaço na nova economia em inovações, com grandes investimentos e incentivos governamentais em ciência e tecnologia, além de fomentar iniciativas de empreendedorismo nessa direção. Aonde a China quer chegar? Bem, conforme o presidente Xi Jinping já deixou claro, nos próximos anos, a proposta é superar os Estados Unidos como potência tecnológica mundial. Isso também vale para a Inteligência Artificial (AI).

“A china é fonte de inspiração. Ela tem protagonizado uma grande evolução tecnológica. Tive o privilégio de interagir intensamente com instituições chinesas nos últimos quatro anos, em programas de desenvolvimento tecnológico e de negócios na área de biocombustíveis, o que me deixa convicto desse processo. Vemos a autoestima que esse país vive. Os chineses não têm medo de pensar grande, não temem ser ousados. Assumem compromissos que nós talvez ficássemos acanhados diante de tamanho desafio”, aponta o coordenador de Inovação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Expedito Parente Júnior.

A matéria completa, que foi inspirada nas discussões da 2ª Escola de Verão em Inteligência Artificial do Iracema Digital pode ser acessada em:

https://www.trendsce.com.br/2021/03/01/projeto-bora-pra-china-visa-fortalecer-cooperacao-entre-ceara-e-pais-asiatico/